10 Razões por que todo cristão deve freqüentar a EBD



1. Por causa da enorme e crescente necessidade de genuíno e sadio alimento espiritual que só pode ser obtido pelo estudo claro, metódico, continuado e progressivo da Palavra de Deus;

Hipócritas na Igreja



A hipocrisia entre aqueles de nós que professam a Jesus Cristo como Senhor e Salvador continua a ser um obstáculo para os incrédulos. O problema provavelmente nunca foi expresso de forma mais sucinta do que quando Ghandi, da Índia, afirmou sobre a cristandade: "Gosto do Cristo deles, mas não gosto dos cristãos. Eles são tão pouco parecidos com seu Cristo." Ai! Isso dói. Mas uma boa dose da verdade é, às vezes, dolorosa

Para evitarmos a culpa da ofensa, nós mesmos devemos ter esse tipo de comentário em mente ao vivermos nossa vida diária. Porque, uma vez que fazemos uma declaração pública de fé, o diabo pinta um "ponto de mira" nas nossas costas e nos tornamos alvos ambulantes para esse tipo de crítica. Então, quer gostemos ou não, nossa atitude prática é a forma pela qual somos mensurados aos olhos do mundo. E, para piorar as coisas, o padrão de referência que eles usam para nos julgar é a absoluta perfeição do imaculado Filho de Deus, Jesus Cristo!

A salvação em Cristo é similar a certas providências do "programa de proteção de testemunhas" no sistema judicial norte-americano, em que se a culpa é desconsiderada e a testemunha é poupada da condenação! Uma nova identidade é recebida e um novo domicílio é providenciado para proteger a testemunha de seus inimigos. De acordo com a lei, a testemunha é culpada, mas fica em liberdade por meio de um acordo feito entre seu advogado e a promotoria. Entretanto, o verdadeiro cristianismo difere disso no sentido que a culpa é totalmente removida e não, apenas, propositalmente ignorada! O indivíduo é nova criatura - tem nova identidade em Cristo e uma casa nos céus:

Diante do Trono no Programa Raul Gil



O Ministério de Louvor Diante do Trono será homenageado no Programa Raul Gil, da Rede Bandeirantes de Televisão, no quadro "Homenagem ao Artista".

De acordo com a chamada televisiva que começou a ser divulgada no último fim de semana, o programa Raul Gil vai ao ar no próximo sábado (10/05), às 15h.

Momento de Reflexão



"Pela fé peregrinou na terra da promessa..." Hebreus 11.9

Testemunho de Aline Barros no Raul Gil


Ultimamente tenho ligado a televisão e visto o que a alguns anos atrás era improvável: ver em programas de auditório a apresentação de cantores evangélicos. Espaço que antes era reservado apenas para cantores seculares é aberto agora para artistas cristãos se expressarem. Um programa que tem feito isto com frequência é o Homenagem ao Artista, do Raul Gil.

Ana Paula Valadao adora ao Senhor no Raul Gil



O Ministério de Louvor Diante do Trono participou, dia 10.05 no programa Homenagem Ao Artista, do Raul Gil, na Band. Foi um programa muito bonito, em que a líder do grupo, Ana Paula Valadão testemunhou sobre Jesus. Recebeu muitas homenagens de artistas, cantores e pastores, como Mara Maravilha, Sula Miranda, Joana Prado, David Quinlan, Asaph borba, Adhemar de Campos entre outros.

O Arrebatamento da Igreja



Faremos uma série de posts sobre o Arrebatamento. Aqui, um breve resumo dos fatos.

1Ts 4.16,17: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”

Quando Cessam as Orações



Há um tempo atrás, fiz uma enquete no Blog perguntando: Quanto tempo você gasta diariamente com oração. Para meu espanto, quase 50% dos votos se referia ao tempo de menos de 10 minutos por dia.

As pessoas geralmente não param para pensar sobre o lugar da oração em suas vidas. Muitos têm demonstrado que a oração ocupa o último lugar nas suas preferências. Não reservam um único momento para estarem a sós com Deus: o dia começa e termina, e a pessoa nem sequer cogitou a possibilidade de reservar um período do dia para se dedicar exclusivamente à oração. E se em algum momento ela pensou em fazer isso, ela não teve disposição para concretizar esse pensamento; concluiu que o seu tempo era muito curto e que havia outras prioridades. Assim, a oração vai, pouco a pouco e imperceptivelmente, cessando em sua vida.

Recomedações para se Viver Bem


Em 24 de agosto de 1662, dois mil ministros puritanos do evangelho foram excluídos de seus púlpitos, tendo recebido a ordem de não mais pregarem em público. O sermão que passamos a transcrever, de modo um tanto abreviado, foi pregado por Thomas Watson a seu pequeno rebanho.

"Antes que eu me vá, devo oferecer alguns conselhos e orientações para vossas almas. Eis as vinte instruções que tenho a dar a cada um de vós, para as quais desejo a mais especial atenção":

1) Antes de tudo, observa tuas horas constantes de oração a Deus, diariamente. O homem piedoso é homem “separado” (Sl 4.3), não apenas porque Deus o separou por eleição, mas também porque ele mesmo se separa por devoção. Inicia o dia com Deus, visita-O pela manhã, antes de fazeres qualquer outra coisa. Lê as Escrituras, pois elas são, ao mesmo tempo, um espelho que mostra as tuas manchas e um lavatório onde podes branquear essas máculas. Adentra ao céu diariamente, em oração.

2) Coleciona bons livros em casa. Os livros de qualidade são como fontes que contêm a água da vida, com a qual poderás refrigerar-te. Quando descobrires um arrepio de frio em tua alma, lê esses livros, onde poderás ficar familiarizado com aquelas verdades que aquecem e afetam o coração.

3) Tem cuidado com as más companhias. Evita qualquer familiaridade desnecessária com os pecadores. Ninguém pode apanhar a saúde de outrem; mas pode-se apanhar doenças. E a doença do pecado é altamente transmissível. Visto não podermos melhorar os outros, ao menos tenhamos o cuidado de que eles não nos façam piores. Está escrito acerca do povo de Israel que “se mesclaram com as nações e lhes aprenderam as obras” (Sl 106.35). As más companhias são as redes de arrastão do diabo, com as quais arrasta milhões de pessoas para o inferno. Quantas famílias e quantas almas têm sido arruinadas pelas más companhias!

4) Cuidado com o que ouves. Existem certas pessoas que, com seus modos sutis, aprendem a arte de misturar o erro com a verdade e de oferecer veneno em uma taça de ouro. Nosso Salvador, Jesus Cristo, aconselhou-nos: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mt 7.15). Sê como aqueles bereanos que examinavam as Escrituras, para verificar se, de fato, as coisas eram como lhes foram anunciadas (At 17.11). Aos crentes é mister um ouvido discernidor e uma língua crítica, que possam distinguir entre a verdade e o erro e ver a diferença entre o banquete oferecido por Deus e o guisado colocado à sua frente pelo diabo.

5) Segue a sinceridade. Sê o que pareces ser. Não sejas como os remadores, que olham para um lado e remam para outro. Não olhes para o céu, com tua profissão de fé, para, então, remar em direção ao inferno, com tuas práticas. Não finjas ter o amor de Deus, ao mesmo tempo que amas o pecado. A piedade fingida é uma dupla iniqüidade. Que teu coração seja reto perante Deus. Quanto mais simples é o diamante, tanto mais precioso ele é; e quanto mais puro é o coração, maior é o valor que Deus dá à sua jóia. O salmista disse sobre Deus: “Eis que te comprazes na verdade no íntimo” (Sl 51.6).

6) Nunca te esqueças da prática do auto-exame. Estabelece um tribunal em tua própria alma. Tem receio tanto de uma santidade mascarada quanto de ires para um céu pintado. Julgas-te bom porque outros assim pensam de ti? Permite que a Palavra seja um ímã com o qual provarás o teu coração. Deixa que a Palavra seja um espelho, diante do qual poderás julgar a aparência de tua alma. Por falta de autocrítica, muitos vivem conhecidos pelos outros, mas morrem desconhecidos por si mesmos. “De noite indago o meu íntimo”, disse o salmista (Sl 77.6).

7) Mantém vigilância quanto à tua vida espiritual. O coração é um instrumento sutil, que gosta de sorver a vaidade; e, se não usarmos de cautela, atrai-nos, como uma isca, para o pecado. O crente precisa estar constantemente alerta. Nosso coração se assemelha a uma “pessoa suspeita”. Fica de olho nele, observa o teu coração continuamente, pois é um traidor em teu próprio peito. Todos os dias deves montar guarda e vigiar. Se dormires, aí está a oportunidade para as tentações diabólicas.

8 ) O povo de Deus deve reunir-se com freqüência. As pombas de Cristo devem andar unidas. Assim, um crente ajudará a aquecer ao outro. Um conselho pode efetuar tanto bem quanto uma pregação. “Então, os que temiam ao SENHOR falavam uns aos outros” (Ml 3.16). Quando um crente profere a palavra certa no tempo oportuno, derrama sobre o outro o óleo santo que faz brilhar com maior fulgor a lâmpada do mais fraco. Os biólogos já notaram que há certa simpatia entre as plantas. Algumas produzem melhor quando crescem perto de outras plantas. Semelhantemente, esta é a verdade no terreno espiritual. Os santos são como árvores de santidade. Medram melhor na piedade quando crescem juntos.

9) Que o teu coração seja elevado acima do mundo. “Pensai nas coisas lá do alto” (Cl 3.2). Podemos ver o reflexo da lua na superfície da água, mas ela mesma está acima, no firmamento. Assim também, ainda que o crente ande aqui em baixo, o seu coração deve estar fixado nas glórias do alto. Aqueles cujos corações se elevam acima das coisas deste mundo não ficam aprisionados com os vexames e desassossegos que outros experimentam, mas, antes, vivem plenos de alegria e de contentamento.

10) Consola-te com as promessas de Deus. As promessas são grandes suportes para a fé, que vive nas promessas do mesmo modo que o peixe que vive na água. As promessas de Deus são quais balsas flutuantes que nos impedem de afundar, quando entramos nas águas da aflição.

11) Não sejas ocioso, mas trabalha para ganhar o teu sustento. Estou certo de que o mesmo Deus que disse: “Lembra-te do dia de sábado, para o santificar”, também disse: “Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra”. Deus jamais apoiou qualquer ociosidade. Paulo observou: “Estamos informados de que, entre vós, há pessoas que andam desordenadamente, não trabalhando; antes, se intrometem na vida alheia. A elas, porém, determinamos e exortamos, no Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando tranqüilamente, comam o seu próprio pão” (2 Ts 3.11-12).

12) Ajunta a primeira tábua da Lei à segunda, isto é, piedade para com Deus e eqüidade para com o próximo. O apóstolo Paulo reúne essas duas idéias, em um só versículo: “Vivamos, no presente século… justa e piedosamente” (Tt 2.12). A justiça se refere à moralidade; a piedade diz respeito à santidade. Alguns simulam ter fé, mas não têm obras; outros têm obras, mas não têm fé. Alguns se consideram zelosos de Deus, mas não são justos em seus tratos; outros são justos no que fazem, mas não têm a menor fagulha de zelo para com Deus.

13) Em teu andar perante os outros, une a inocência à prudência. “Sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas” (Mt 10.16). Devemos incluir a inocência em nossa sabedoria, pois doutro modo tal sabedoria não passará de astúcia; e precisamos incluir sabedoria em nossa inocência, pois do contrário nossa inocência será apenas fraqueza. Convém que sejamos tão inofensivos como as pombas, para que não causemos danos aos outros, e que tenhamos a prudência das serpentes, a fim de que os outros não abusem de nós nem nos manipulem.

14) Tenha mais medo do pecado que dos sofrimentos. Sob o sofrimento, a alma pode manter-se tranqüila. Porém, quando um homem peca voluntariamente, perde toda a sua paz. Aquele que comete um pecado para evitar o sofrimento, assemelha-se ao indivíduo que permite sua cabeça ser ferida, para evitar danos ao seu escudo e capacete.

15) Foge da idolatria. “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos” (1 Jo 5.21). A idolatria consiste numa imagem de ciúme que provoca a Deus. Guarda-te dos ídolos e tem cuidado com as superstições.

16) Não desprezes a piedade por estar sendo ela perseguida. Homens ímpios, quando instigados por Satanás, vituperam, maliciosamente, o caminho de Deus. A santidade é uma qualidade bela e gloriosa. Chegará o tempo quando os iníquos desejarão ver algo dessa santidade que agora desprezam, mas estarão tão removidos dela como agora estão longe de desejá-la.

17) Não dá valor ao pecado por estar atualmente na moda. Não julga o pecado como coisa apreciável, só porque a maioria segue tal caminho. Pensamos bem sobre uma praga, só porque ela se torna tão generalizada e atinge a tantos? “E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as” (Ef 5.11).

18) No que diz respeito à vida cristã, serve a Deus com todas as tuas forças. Deveríamos fazer por nosso Deus tudo quanto está no nosso alcance. Deveríamos servi-Lo com toda a nossa energia, posto que a sepultura está tão perto, e ali ninguém ora nem se arrepende. Nosso tempo é curto demais, pelo que também o nosso zelo de Deus deveria ser intenso. “Sede fervorosos de espírito, servindo ao Senhor” (Rm 12.11).

19) Faze aos outros todo o bem que puderes, enquanto tiveres vida. Labuta por ser útil às almas de teus semelhantes e por suprir as necessidades alheias. Jesus Cristo foi uma bênção pública no mundo. Ele saiu a fazer o bem. Muitos vivem de modo tão infrutífero, que, na verdade, suas vidas dificilmente são dignas de uma oração, como também seu falecimento quase não merece uma lágrima.

20) Medita todos os dias sobre a eternidade. Pois talvez seja questão de poucos dias ou de poucas horas - haveremos de embarcar através do oceano da eternidade. A eternidade é uma condição de desgraça eterna ou de felicidade eterna. A cada dia, passa algum tempo a refletir a respeito da eternidade. Os pensamentos profundos sobre a eterna condição da alma deveriam servir de meio capaz de promover a santidade.

Em conclusão, não devemos superestimar os confortos deste mundo. As conveniências do mundo são muito agradáveis, mas também são passageiras e logo se dissipam. A idéia da eternidade deve ser o bastante para impedir-nos de ficar tristes em face das cruzes e sofrimentos neste mundo. A aflição pode ser prolongada, mas não eterna. Nossos sofrimentos neste mundo não podem ser comparados com nosso eterno peso de glória. Considerai o que vos tenho dito, e o Senhor vos dará entendimento acerca de tudo.

A Deus Toda a Glória!
 

A História de Aclame ao Senhor



O interessante foi ouvir dela que não há nenhum fato sobrenatural que a levasse a compor esta canção.

"Simplesmente senti que naquele dia fluiria uma canção que tocaria as nações." Darlene até hoje fica surpresa e se diz embaraçada com o resultado desta canção. " É uma canção simples e natural, diz ela com uma humildade que é natural a pessoas cheias do Espírito que hoje sem dúvida é uma das mais elogiadas worship leader do mundo. Ela não quer qualquer glória porque sabe que não é sua.

É a pureza de seu coração e seu amor profundo por Deus que a criou até se tornar a líder aclamada que é hoje. "A melodia é simples e a letra é toda tirada da bíblia," Explica: " Veio de um tempo de reflexão diante de Deus." Embora tivesse experiência com composição desde os 15 anos, ela nunca se considerou uma compositora, mas recorda, sempre recebia uma inspiração.

"Era um daqueles dias escuros em minha vida," relembra. "Me sentia pressionada, tudo estava sobre mim, parecia estar tudo fora do centro da vontade de Deus e eu abri o livro de Salmos numa busca desesperada pela sua paz, sentei-me ao velho piano, toquei as teclas de forma avulsa, sem formar acordes, e assim Aclame ao Senhor fluiu de meu coração. Ela sorri quando descreve a cena. "O piano era um presente de meus pais quando eu tinha cinco anos somente. Era velho e eu estou certa que estava até um pouco desafinado. Eu não estava pensando na canção de forma consciente," diz, "mas eu cantei isto e cantei isto, inúmeras vezes, e esta canção me levantou, me ergueu." Esta foi a forma como esta canção nasceu, nas profundidades de um desespero e me levou para as alturas de fé. Passaram os dias e a canção não abandonou, não a deixou e ela começou a perceber que poderia ser sua canção de adoração, seu hino de vitória.

Terrivelmente tímida e sentindo-se um pouco envergonhada, ela comentou com Geoff Bullock (então Pastor de Música em Hills CLC, Igreja onde é pastora) e Russell Fragar que ela havia composto uma canção. "Minhas mãos ficaram suadas e eu tocava com dificuldade, estava tão nervosa," diz. "Eu continuei tocando e parando, pedindo desculpa a eles por estarem presenciando tal situação, acabei pedindo para que eles ficassem de costas para mim, voltados para a parede enquanto tocava a canção. Depois quando viraram para mim disseram: É magnífica! Linda demais! Darlene estava segura que não era apenas cortesia da parte deles.

Quando Pastor Brian Houston (Pastor Presidente da Hill CLC) ouviu a canção pela primeira vez, ele predisse que seria cantado em torno do mundo. O resto é história...

De início nem registramos a canção e comecei a receber letras com traduções das pessoas no mundo inteiro que cantavam a canção em suas igrejas, diz Darlene. "Na Nigéria um menino de sete anos de idade me agradeceu por ter escrito esta música."

"Aclame ao Senhor foi escrito no tempo em que eu era uma menininha para Deus, a menininha que correu para o pai no momento do desespero".

Quando você canta esta canção você tem a oportunidade de sentir o que Darlene sentiu no dia em que o Senhor lhe deu esta canção. Darlene agarra sua Bíblia e volta ao Salmo 96. Você pode ver sua paixão pela palavra brilhando nos olhos quando ela descreve o que isto quer dizer para ela. Ela consegue ver a qualquer hora o mar rugindo e as montanhas se curvando diante do Senhor. Você pega um vislumbre que inspirou a canção, o amor verdadeiro e coração puro enfocado completamente em seu Senhor amado.

Desde que foi escrito em 1993, "Aclame ao Senhor" foi gravado em mais de 30 álbuns, só no Brasil para mais de 10 e traduzida para muitos idiomas. É a canção de adoração favorita de centenas de milhares de crentes em torno do mundo, é tocada em milhares de igrejas, convenções, concertos, casamento e até enterros. Foi indicado como "Canção do Ano" em 1998 pelo Dove Award ( Prêmio dado nos EUA para os maiores destaques da música cristã - uma espécie de Grammy).

Artigo tirado da Revista de Hillsong (Informativo da Igreja Hill CLC em Melbourne/Austrália.

Deus abençoe
Darlene Zschech

Entrevista com Daniel Berg - Pioneiro no Movimento Pentecostal


Vasculhando o site You Tube, achei um material raro e precioso: uma entrevista com Daniel Berg, missionário sueco fundador da Assembléia de Deus, em Belém do Pará.

Na entrevista a uma rádio de Santa Catarina, ele fala sobre o seu chamado, da fundação da igreja, das perseguições, do Batismo com o Espírito Santo, na Vinda de Jesus, e no fim, canta o hino 196 - Precioso para Mim é Jesus, da Harpa Cristã.

Leia Aqui a Biografia de Daniel Berg.

Pare de Fugir



Leitura Bíblica: Jonas 1-4

“O ímpio foge, embora ninguém o persiga, mas os justos são corajosos como o leão” (Pv 28.1).

Fugir nem sempre é negativo. Quando a mulher de Potifar assediou José para que se deitasse com ela, ele fugiu da mulher, mas a Bíblia diz que Deus estava com José (Gn 39). Um anjo do Senhor apareceu a José em sonho e o orientou para fugir para o Egito com o menino Jesus e sua mãe, pois o rei Herodes ameaçava matar a criança (Mt 2.13). Jesus disse para os seus discípulos que quando fossem perseguidos num lugar, deveriam fugir para outro (Mt 10.23). A Bíblia manda fugir da impureza, da idolatria, dos desejos malignos da juventude (1 Co 6.18; 10.14; 2 Tm 2.22), e de muitos outros males.

Hoje devemos fugir de muitas coisas que se acatadas nos prejudicarão: drogas, negócios ilícitos, lucro fácil, violência, influências negativas, sexo ilícito, fumo, dirigir alcoolizado, violência doméstica, e uma infinidade de outras coisas nocivas. A fuga não demonstra apenas covardia em alguns casos, ela também pode ser a expressão exata de coragem, sabedoria, bom senso, prudência, determinação, objetividade, maturidade, devoção, escolha, e cautela. As feras dormem durante o dia e caçam durante a noite. Elas fogem da exposição para agirem com discrição.

Mas existe uma fuga maléfica e destruidora, é a fuga de Deus. Quando nossos primeiros pais pecaram, procuraram fugir de Deus (Gn 3.8-10). Mas fugir de Deus é a maior expressão de ignorância humana. Na verdade, ninguém consegue fugir de Deus, pois tudo, em toda a criação está descoberto e exposto diante dos olhos daquele a quem havemos de prestar contas (Hb 4.13). Quando tentamos fugir de Deus, só descemos. O profeta Jonas fugiu da presença do Senhor descendo para a cidade de Jope, descendo para o navio, descendo para o porão, descendo para o fundo do mar, e descendo para o ventre do grande peixe (Jn 1-2). Quando fugimos de Deus, fugimos de nós mesmos, e dos outros. É uma lástima.

Voltar-se para Deus, é o caminho mais curto para a vida plena.
Por Antonio Francisco - Achologia

Reflexão: A Abóbora e o Carvalho



Geralmente leio muitos textos, mas a primeira vez que li e ouvi esse, nunca mais o esqueci. Ficou guardado. Trata-se de uma reflexão em torno da abóbora, que rapidamente se torna em um fruto e o carvalho, árvore que demora em torno de 100 anos para crescer, para ficar bonita quanto as outras árvores.

Podemos enquadrar isso em nossa vida cristã, em quem muitos, logo após aceitar a Cristo, já estão no púlpito pregando, cantando, tem um crescimento muito rápido. Outros, demoram 5, 10, 15 anos sentados em um banco de igreja, na promessa do chamado de Deus. Ouça, medite, e seja abençoado!

Bom fim de semana, que Deus os abençoe!

Para Ouvir Clique Aqui

História do Hino 84 - O Grande Eu Sou



Tive a felicidade de encontrar a história da composição de um dos hinos da Harpa Cristã que mais gosto: 84 - O Grande Eu Sou.

Um trecho do referido hino:

Não perturbeis o coração,
Porque Eu sempre sou fiel;
Eu fecho a boca do "leão",
Na cova estou com Daniel.

Coro
Sou Eu aquele, o grande “EU SOU”
E, onde estais, também estou;

Não disse, Eu, há muito já:
“Pedi, pedi... dar-se-vos-á”?
Pedi com fé e com fervor

E vos darei o Consolador.

O autor deste hino, Edgar Page Stites, descreve em detalhes, tudo o que viveu durante os momentos de inspiração:

"Escrevi Beulah Land em 1876. Eu só consegui escrever dois versos e o coro, depois fui vencido e cai sobre o meu rosto. Era um dia de domingo. No domingo seguinte escrevi o terceiro e quarto versos, quando então, fui dominado pela emoção e eu só conseguia orar e chorar. A primeira vez que foi cantado foi numa manhã de segunda-feira, num culto metodista em Filadélfia, Pensilvânia. O bispo McCabe cantou para os ministros reunidos. Desde então, este hino tem sido cantado em todas as reuniões onde o povo se congrega. Nunca recebi um centavo pelas minhas músicas. Talvez seja esta a razão de terem se tornado tão popular. Jamais eu poderia fazer qualquer trabalho para o Mestre e receber por isso".

A secretária da Associação Cristã de Moços (A.C.M.) de Plymouth, Inglaterra escreveu para Ira D. Sankey uma bela estória de uma jovem que, no seu leito de morte, entoou as palavras deste hino, exatamente no momento em que passava para o lindo país.

Ira Sankey cantou esta mesma melodia no féretro de Sweney (o próprio compositor), na igreja em que ele foi membro, em West Chester, Pensilvânia, no dia do seu funeral, 10 de Abril de 1899.

Para a História do Compositor e Tradutor, Clique Aqui

Fonte: Harpa Cristã - Fragmentos

A Beleza dos Dias Comuns




No final do dia, o marido se dirige à esposa e diz: "Hoje foi um daqueles terríveis dias comuns".

Acho muito interessante como temos uma visão errada sobre os "dias comuns".

Dias comuns são aqueles dias em que tudo foi exatamente como sempre havia sido antes. Normalmente eles são reconhecidos como tediosos e maçantes.

Prefiro observar os "dias comuns" de forma diferente (até porque a maior parte dos nossos dias são "comuns", se eles forem chatos, a nossa vida tende a ser uma chatice só!).

Para mim, os "dias comuns" têm grande valor. Quer ver?

* nos dias comuns eu não estou doente nem estou com dor (quando tenho alguma dor, o dia não é um dia comum).

* nos dias comuns ninguém que eu amo faleceu ou está muito doente (quando alguém que eu amo está sofrendo, os dias não são comuns).

* nos dias comuns não perco o meu emprego.

* nos dias comuns a minha vida não está envolvida em nenhum escândalo ou catástrofe.

* nos dias comuns as pessoas que eu amo também me amam e não estão "de mal" comigo.

* nos dias comuns eu não passo fome e nem frio.

* nos dias comuns eu não participo das guerras e nem vejo a morte bem perto de mim.

* nos dias comuns o sol não provocou uma seca e nem a chuva provocou uma enchente.

* nos dias comuns não sou assaltado nem seqüestrado.

* nos dias comuns os amigos não me traem.

* nos dias comuns estou em paz.


Viu? Dias comuns podem se tornar tediosos, mas dias "especiais" (não comuns), podem ser muito difíceis e sofridos. Por isso, prefiro os dias comuns e escolho valorizá-los.

Há alguns dias atrás tive um problema de saúde. Passei mal e tive dor. Nesse momento, fiquei lembrando do dia anterior... um "dia comum".

No ordinário dos "dias comuns" eu vejo a mão de Deus. Por isso, sou grato pela beleza dos "dias comuns".

Por Jesus Site

Sobre Pecado



O pecado tem sido disfarçado nestes dias, aparecendo com novos nomes e caras. Você pode estar sendo exposto a esse fenômeno na escola. O pecado é chamado por diversos nomes enfeitados - qualquer nome, menos pelo que ele realmente é. Por exemplo, os homens já não ficam mais sob convicção de pecados; eles têm um complexo de culpa. Em lugar de confessar suas culpas a Deus, para se livrarem delas, deitam-se num divã e tentam relatar o que sentem a um homem que deve conhecer melhor tudo sobre eles. Após algum tempo, a resposta dada é que eles foram profundamente desapontados quando tinham dois anos, ou alguma coisa semelhante. Supõe-se que isso os fará sentirem-se melhor.

Os Alimentos Instantâneos e o Tempo de Deus



Fico perguntando qual o pecado dos novos cristãos urbanos que mais atrapalha o mover de Deus? (Isso porque deduzo que a cultura deve dar uma contribuição à maneira como se peca.)

Pensando bem talvez seja o pecado da ansiedade. Ele é um dos mais comuns aos novos cristãos urbanos. (Esta terminologia aprendi na lição Integridade à toda prova, do Pr. Jorge Shutz Dias, na revista da EBD).

Segundo o pastor, os novos cristãos urbanos são os que frequentaram as igrejas localizadas nas cidades a partir das últimas décadas. Ou seja, nós. Antes, o perfil da igreja era mais de pessoas do interior.

Só para visualizar o que estou querendo dizer:
Imagine que determinado acontecimento gere um bordado na mente de Deus. A pressa impede de esperar o desenho ficar pronto para ter uma compreensão melhor do seu significado. A ansiedade faz com que se arranque da mão de Deus o acontecimento e o desenho fica pela metade.

Divagações à parte, esbarro sempre no tempo de Deus. Vivo às voltas com aquele versículo “aquietai-vos e sabei que eu sou Deus (Salmos 46.10). Ou o “não andeis ansiosos por coisa alguma.....” (Filipenses 4:6).

Essa mania de usar nescau instantâneo, sopa instantânea, pudim, gelatina, miojo ... deseduca a alma. Dá a ilusão de que o instantâneo é igual aos processos. Não é. E deixam a gente ainda mais acelerado.

Volto ao bordado de Deus: ele parece uma tapeçaria da Idade Média bem rica e a comparo ao preparo de um prato trabalhoso mas delicioso. Ingredientes variados, camadas de molhos, massa que descansa horas antes de ir ao forno... Se conseguir chegar até o final sem improvisos (atalhos...) haverá um prato delicioso. Se não, fica para a próxima vez. As tentativas contam para Deus.

Foi o que ele disse a Davi. “Disse Natã ao rei: Vai, faze tudo quanto está no teu coração, porque o Senhor é contigo.” 2 Samuel 7:3. Davi não construiu o templo de Jerusalém mas reuniu todo o material para Salomão, seu filho, fazê-lo.

Por Thereza Cristina 

A Origem do Mal, segundo a Bíblia



1. Como que se originou o pecado? I João 3:8
Quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo.

2. Onde vivia esse ser diabólico antes de vir para a Terra? Lucas 10:18
Respondeu-lhes ele: Eu via Satanás, como raio, cair do céu.

3. Que fez Deus, quando a rebelião de Satanás provocou a guerra no Céu? Apocalipse 12:7-9
Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam, mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu.
E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele.

4. Que espécie de anjo era Satanás antes de sua rebelião? Ezequiel 28:12
Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-te: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da perfeição, cheio de sabedoria e perfeito em formosura.

5. Que posição exaltada ocupava ele nas cortes celestiais? Ezequiel 28:14
Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas.

NOTA: Como querubim cobridor, estava próximo de Deus. Salmo 80:1
Ó pastor de Israel, dá ouvidos; tu, que guias a José como a um rebanho, que estás entronizado sobre os querubins, resplandece.

6. Que posição mais elevada cobiçou esse ser exaltado? Isaías 14:12-14
Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! como foste lançado por terra tu que prostravas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte; subirei acima das alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.

NOTA: Outro motivo de sua rebelião foi o orgulho por sua formosura. Ezequiel 28:17
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem.

7. Quando foi expulso do Céu, a quem quis Satanás enganar? Gênesis 3:1-6
Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?
Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Disse a serpente à mulher: Certamente não morrereis.
Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal.
Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu.

NOTA: Satanás usou a serpente como médium, para por ela alcançar a atenção da mulher.

8. Sobre que pretende Satanás ter domínio absoluto? Lucas 4:5, 6
Então o Diabo, levando-o a um lugar elevado, mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo. Então o Diabo, levando-o a um lugar elevado, mostrou-lhe num relance todos os reinos do mundo.

NOTA: Ver Também Jó 1:6-8
Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. O Senhor perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu Disse o Senhor a Satanás: Notaste porventura o meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal?

9. Quem traz sobre a humanidade o sofrimento e a tentação? Jó 2:7 , Lucas 13:16

Jó 2:7 - Saiu, pois, Satanás da presença do Senhor, e feriu Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até o alto da cabeça.

Lucas 13:16 - E não devia ser solta desta prisão, no dia de sábado, esta que é filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?

10. Como adquiriu Cristo o direito de destruir o diabo e todo o mal? Hebreus 2:14
Portanto, visto como os filhos são participantes comuns de carne e sangue, também ele semelhantemente participou das mesmas coisas, para que pela morte derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo;

11. Como será finalmente destruído por Deus esse maligno? Ezequiel 28:16-19
Pela abundância do teu comércio o teu coração se encheu de violência, e pecaste; pelo que te lancei, profanado, fora do monte de Deus, e o querubim da guarda te expulsou do meio das pedras afogueadas.
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei; diante dos reis te pus, para que te contemplem.
Pela multidão das tuas iniqüidades, na injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu a ti, e te tornei em cinza sobre a terra, à vista de todos os que te contemplavam.
Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; chegaste a um fim horrível, e não mais existirás, por todo o sempre.

12. Por que trabalha Satanás agora com tanto ódio? Apocalipse 12:10-12
Então, ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite.
E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.
Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta.

13. Como procura Satanás disfarçar-se, bem como aos seus enganos? II Coríntios 11:13-15
Pois os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, disfarçando-se em apóstolos de Cristo.E não é de admirar, porquanto o próprio Satanás se disfarça em anjo de luz.
Não é muito, pois, que também os seus ministros se disfarcem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.

14. Qual é a única defesa do homem contra os enganos de Satanás? Efésios 6:11, 12
Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo; pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes.

15. Como podemos alcançar a vitória sobre este arquiinimigo? Apocalipse 12:11
E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte. 

Como Encontrar a Pessoa Ideal para Namorar?



Quem pensa em namorar de verdade, tendo como objetivo o casamento, precisa atentar para duas coisas importantes. Primeiro, deve orar com fé, esperando no Senhor (Sl 40.1), pois Ele é poderoso para lhe preparar a pessoa certa (Pv 19.14). Ao mesmo tempo, é necessário procurar (Pv 18.22), pois em tudo, na vida, existe a parte de Deus e a do homem (Pv 16.1,2; Tg 4.8).

O jovem cristão deve ter cuidado com os profetizadores casamenteiros (Ez 13.2,3; Ap 2.20), pois a profecia, como dom do Espírito Santo que se manifesta, usualmente, num culto coletivo a Deus, não serve, em regra geral, para ajudar os jovens crentes a encontrarem a “pessoa preparada”. As suas finalidades são edificação, exortação e consolação do povo de Deus (1 Co 14.3).

Muitos hoje são infelizes em sua vida conjugal porque deram ouvidos a falsos profetas. Namoro é coisa séria! Não se deve permitir que a escolha tenha a interferência de terceiros, exceto dos pais, que devem sim aconselhar e ajudar os filhos nessa tomada de decisão.

Deve-se, ainda, orar e procurar uma pessoa, segundo os critérios contidos na Palavra de Deus. Nessa busca, é necessário identificar qualidades, como a espiritualidade (1 Co 2.14-16; 5.11), a beleza interior (Pv 15.13). Muitos se preocupam demasiadamente com a beleza física, que é enganosa (Pv 31.30). Esquecem-se de que a beleza da alma é a mais importante (1 Sm 16.17) e permanece mesmo com o passar dos anos, enquanto a exterior é ilusória, passageira e morrerá tal como uma flor (Pv 11.22; 1 Pe 1.24,25).

É preciso se preocupar também com a compatibilidade (Am 3.3). Muitos hoje dizem que isso não é importante e pensam que podem namorar uma pessoa descrente para ganhá-la para Jesus. Fazer isso, no entanto, é o mesmo que se jogar em um poço para tentar salvar alguém que lá caiu. E ninguém faria isso. Deve-se jogar a “corda” do evangelho para o não-crente se salvar, mas sem nenhum envolvimento sentimental.

Meu conselho é: antes de começar um namoro, é preciso verificar se não há incompatibilidades espiritual, social, etária, cultural, etc. A mais perigosa é a espiritual (2 Jo vv. 10,11). Considerando que a Bíblia chama os incrédulos de filhos do diabo (1 Jo 3.10), não havendo, pois, meio-termo, relacionar-se com um significa ter o Diabo como sogro.

Não pense que um(a) filho(a) do Diabo terá Deus como sogro, em razão de se relacionar com um(a) filho(a) de Deus, equilibrando, assim, o relacionamento. Nos casos de mistura, sempre é o crente o prejudicado (Gn 6.1-4; 1 Co 10). Por quê? Porque está pecando conscientemente, ignorando o que a Palavra de Deus ensina quando ao jugo desigual com os infiéis (2 Co 6.14-18). Não há, portanto, nenhum consenso entre a luz e as trevas, entre Cristo e Satanás.

Fonte: Olhar Cristão
 

Musica Gospel, o que é isso?



O termo Gospel tem suas origens na língua inglesa, e deriva de “God-spell", que significa "boas novas". A expressão é uma alusão à chegada de Cristo ao mundo, e se disseminou na comunidade protestante negra americana, no começo do século passado. A origem deste estilo musical está nas músicas carregadas de tristeza cantadas por escravos negros norte-americanos ainda no século XIX. O estilo ganhou força entre os freqüentadores de igrejas protestantes negras nos EUA, no começo do século XX.
Cem anos depois, o termo abrange numerosos gêneros musicais cuja característica comum é o conteúdo das letras, que tratam de temas religiosos sob a ótica cristã protestante. Segundo a professora Magali Cunha, da Universidade Metodista de São Paulo, “nos anos 2000, a música Gospel, nos EUA e no Brasil, passa a ser sinônimo de música contemporânea cantada nas igrejas”.

Magali, que concluiu em 2004 seu doutorado sobre o fenômeno gospel no Brasil, aponta que, nos últimos dez anos, houve um aumento significativo do número de bandas existentes no Brasil. Os gêneros musicais usados pelos grupos também se diversificaram. Segundo ela, esta expansão acontece por duas razões: “Por um lado, houve um aumento significativo do controle de meios de comunicação por parte de grupos evangélicos. Por outro, nos últimos quinze anos, os cristãos se tornaram um segmento de mercado, que atraiu numerosas empresas, entre elas, várias do mercado fonográfico, que no Brasil é o mais aquecido”, explica.
Atualmente, o segmento da música gospel é o segundo que mais vende no Brasil, atrás apenas do pop-rock, segundo a Associação Brasileira de Produtores de Disco (APBD), que reúne as maiores companhias fonográficas brasileiras. Em 2005, último ano em que há dados disponíveis, as vendas de discos gospel movimentaram mais de R$ 40 milhões, quase oito por cento do total de R$ 615,2 milhões gerados pela venda de discos no país. Em 2006, segundo a mesma associação, a vendagem em geral caiu quase 28% no país, por causa da pirataria. Acredita-se, no entanto, que o mercado gospel tenha sido o menos afetado.

Para Magali, o fenômeno de abertura das igrejas para novos gêneros musicais “é bastante interessante porque, na historia das igrejas evangélicas, havia um fechamento grande à cultura brasileira. Existia uma forte influência estrangeira. Hoje, no entanto, eu já conheci, em Porto Velho, uma banda de frevo gospel”, exemplifica.

A pesquisadora acredita também que a principal razão para esta abertura é a necessidade percebida pelas igrejas de atrair jovens para os cultos. “Muitas igrejas encontraram, na música, um modo de conquistar fieis jovens, que se encontravam distantes do mundo evangélico porque sempre houve uma idéia de que aquele era um mundo muito restrito”, argumenta.

No Brasil, esta nova configuração da música cristã começa nos anos 80, quando Estevam Hernandes Filho, líder da Igreja Renascer, cria o selo Gospel Records. Nessa mesma época, surgem no cenário nacional as bandas Oficina G3, Katsbarnea, Resgate e Fruto Sagrado, que são as primeiras a misturar rock e outros gêneros musicais com letras de cunho evangélico.

A Oficina G3 é considerada a maior banda brasileira de rock cristão na atualidade, vencedora por duas vezes do prêmio Grammy por Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa pelo trabalho ‘Oficina Elektracustika G3’ (lançado em 2007) e por ‘Além do que os Olhos Podem Ver’ (de 2005).

Fonte: A Tarde

Quero Minha Religião de Volta



Abaixo, um texto interessante que li e me fez refletir sobre a atual situação da Igreja Evangélica Brasileira.

Antigamente, as igrejas evangélicas era lugares cheios de pessoas que conheciam a Bíblia de capa a capa, que se portavam reverentemente durante o culto e não raro, as pessoas do mundo admiravam os evangélicos por sua fé e esperança, mesmo nos momentos mais difíceis. São inúmeros os testemunhos de pessoas que vieram para Cristo após conviver com um crente genuíno. Este, normalmente descrito como alguém humilde, prestativo e sempre com um versículo bíblico na ponta da língua, para qualquer situação.

Os cultos nas igrejas evangélicas era cheios de hinos e coros profundamente inspiradores, refletindo as doutrinas fundamentais da fé cristã. O ofertório era uma demonstração de zelo e gratidão a Deus e o dízimo era um ato alegre de fidelidade ao Senhor. Quando o pastor subia ao púlpito, todos atentamente recebiam edificação através de uma pregação biblicamente fundamentada.

A pregação da Palavra era o centro do culto. Mesmo nas igrejas pentecostais, não era muito diferente. As classes de escola dominical estavam sempre cheias de crentes sedentos estudar e debater temas bíblicos. Esses eram os "crentes" de antigamente.

Hoje as coisas mudaram muito. E como mudaram! Os evangélicos são vistos como mais uma "tribo" urbana, assim como os sufistas ou os hippies, que tem musica própria, gírias e slogans próprios. O culto reverente, virou entretenimento. O momento de destaque no culto, já não é mais a meditação na Palavra de Deus, proclamada por um pastor bem preparado teologicamente, mas sim o momento de "louvor" (momento musical), dirigido por bandas com caros aparelhos de som.

As letras dos cânticos só falam em noiva, paixão, e constantes repetições de forte apelo emocional. O dízimo virou "ato profético" e o ofertório barganha com Deus. Não se pede mais nada a Deus. Decretam coisas para ele fazer da maneira mais arrogante possível. Descaracterizaram a igreja, sob a desculpa de "quebrar a religiosidade". O "louvor" não pode ser menos de uma hora, mesmo que a pregação se reduza a 15 minutos ou menos. A doutrina é colocada em segundo plano, pois o que importa é "adorar".

A Bíblia já não é tão importante para a pregação, pois o negócio é buscar "novas revelações" ( eles devem achar que a Bíblia está ultrapassada), tornando a hermenêutica e a exegese descartáveis, e consequentemente descartando a boa preparação teológica.

Já chega, quero minha religião de volta! Quero de volta a igreja com cara de igreja. Os cultos reverentes, o povo sedento por aprender a Palavra de Deus, o sentimento de contrição e submissão diante do Deus Soberano e Criador de todas as coisas. Quero de volta o tempo em que cultos racionais eram regra e não exceção. Quero de volta a centralidade da Bíblia e não a busca de "revelações dos ultimos dias". Quero de volta o tempo que ser pastor era ser um religioso consagrado e não um empresário eclesiástico.

Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. I Co 15: 3-4

Autor: Francisco Belvedere
Fonte: www.luz.eti.br

Como Julgar uma Profecia?



Esse é um assunto polêmico, e é difícil achar textos e estudos bíblicos sobre ele. Pesquisando pela internet, encontrei um artigo, do site Pentecostalismo.

O julgamento de manifestações espirituais é uma ordenança bíblica. O apóstolo João escreveu: “Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”(1Jo 4.1). O discernimento é uma necessidade para a igreja dos dias atuais, pois há um verdadeiro bombardeio de modismos doutrinários, heresias e misticismos antibíblicos. Em meio a essa confusão da espiritualidade pós-moderna, a “profecia”, ou melhor, a profetada é um dos meios em que muitas heresias têm sido gerada. Mas como julgar uma profecia?

Em primeiro lugar, a profecia não deve entrar em choque com os princípios ensinados na Palavra de Deus, ou seja, profecia não deve formular doutrina ou um novo ensinamento. O cânon da Bíblia já está fechado há séculos e por esse motivo, qualquer nova revelação não pode acrescentar ou tirar algo da Bíblia(Ap 22.18-19). Reivindicar uma nova verdade por meio de uma profecia, é falácia de herege.

Em segundo lugar, a profecia não serve como guia pessoal, uma espécie de horóscopo. Quantos não consultam a profetiza antes de viajarem ou montarem um negócio? Quantos jovens não se casam por meio de profecias? Há até programas de rádio especializados em profecias on-line. É muito relevante a observação daquele que foi um grande teólogo pentecostal, Donald Stamps:

Note que, em nenhum incidente registrado no NT, o dom de profecia foi usado para dirigir pessoas em casos que pudessem ser resolvidos pelos princípios bíblicos. As decisões no tocante à moralidade, compra e venda, ao casamento , ao lar e à família devem ser tomadas mediante a aplicação e obediência aos princípios bíblicos da Palavra de Deus e não meramente à base de uma “profecia”.

Em terceiro lugar, a profecia deve estar de acordo com os princípios estabelecidos em 1Co 14.3: “Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação”. O dom de profecia manifestará essa características. Edificar leva a idéia de uma construção abalizada, ou seja, a profecia trará crescimento e desenvolvimento para o receptor daquela mensagem, as “profecias” de morte chocam-se com esse princípio. Exortação no original significa encorajamento e consolo, isto é, “que encoraja e desperta, e desafia todos a avançarem em fidelidade e amor”.² Consolação no original significa encorajamento, sendo assim, um sinônimo de palavra anterior, fortalecendo o ouvinte da profecia.

Em quarto lugar, a profecia precisa ser coerente. Quantas “profecias” contraditórias. Em um certo culto, o Deus Pai falava por meio de um vaso, enquanto isso o Deus Filho falava por meio de outro vaso, em um momento das “profecias”, a Trindade começou a discutir! Quanta carnalidade!

Em quinto lugar, a profecia é julgada por meio do dom de discernimento de espíritos. Há várias manifestações de difícil avaliação e que somente com a ajuda do Espírito Santo é possível discerni-las. O teólogo pentecostal Gordon Chown escreveu: “Muitas vezes, o dom de discernimento de espíritos manifesta-se para alertar o crente quanto ao caráter maligno de certas obras e doutrinas, sem fazer-se acompanhar, necessariamente, de poderes especiais”. A necessidade desse dom é imprescindível para esses “tempos trabalhosos”.

Em sexto lugar, a profecia se cumpre. O profeta Jeremias proclamou: “O profeta que profetiza paz, somente quando se cumprir a palavra desse profeta é que será conhecido como aquele a quem o Senhor, na verdade, enviou”(Jr 28.9). Há “profecias” muito superficiais, que se aplicam a vários fenômenos sociais, ou seja, são muito óbvias. A profecia precisa ser clara e se for do Senhor se cumprirá.

Essas recomendações precisam ser aplicadas em meio a qualquer manifestação espiritual que supostamente seja uma profecia. Esse exame é bíblico e necessário, pois disse o apóstolo Paulo: “E falem dois ou três profetas, e os outros julguem”(1Co 14.26).

Autor: Gutierres Siqueira

"Macumba Gospel"?




Alguns líderes têm usado de artifícios nada bíblicos para atrair novos convertidos e aumentar a renda mensal que vai parar nos seus ricos cofres.

O apóstolo Paulo pregava, usando a mensagem pura e simples da cruz e por isso foi um grande evangelista.

Atualmente podemos ver:

São "unções", objetos consagrados, correntes, etc. Reconstruíram até a arca
da aliança! Cada semana inventam uma "mágica" nova: "Pule a fogueira santa e
ganhe uma bênção", "cheire a rosa ungida e ganhe um milagre"...


Isso está mais para "macumba gospel" do que para Evangelho. Ou como já escutei: "não é macumba, é boacumba".

3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;
4 E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.
(II Timóteo 4:3-4)

Confesso que não me conformo com essas coisas e jamais me conformarei.

"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." (Romanos 12 : 2)

Esse folheto da IURD expõe exatamente o que eu tenho falado.

Banho do descarrego com 7 elementos sagrados?! Onde está escrito na Bíblia que sal, arruda, enxofre, nardo, óleo, água do rio Jordão e sangue do cordeiro são elementos sagrados? Andam sacrificando animais por aí?

O sacrifício existia para cobrir os pecados das pessoas, antes da vinda de Jesus. Por isso, de tempos em tempos, as pessoas ofereciam sacrifício de animais e eram "selados" pelo sangue sacrificado.

O Sangue do Cordeiro Jesus já foi derramado. Estamos selados pelo Seu sacrifício de amor. Não precisamos de nenhuma macumba gospel.

Não sinto dizer que, se você acredita nessas "boacumbas", você está perdendo seu tempo com algo que não vem de Deus.

Não é questão de denominação de igreja local. Até porque não me canso de dizer que igreja não salva ninguém. A Igreja (Corpo de Cristo) somos nós, salvos pela graça, por meio da fé em Jesus Cristo.

Nossa Salvação é garantida por Jesus e para termos milagres nas nossas vidas não precisamos consultar nenhum "xamã gospel".

Bem, paro por aqui. Para ver o folheto ampliado, clique na imagem no início da postagem.

Adaptado Fonte: Cachola Cristã

Milagres!!



Esse post é um complemento do anterior. Tivemos em nossa igreja, Assembléia de Deus Ministério Brás uma Conferência Profética, com o Partor Gilberto Fernandes. Nunca em minha vida, após ter nascido de novo, há aproximadamente 10 anos vi tanto a Glória de Deus ser manifestada entre os homens.

A igreja se reuniu em um só propósito: jejum e oração até o término da Conferência. E Deus fez milagres. Segundo a vontade de Deus, o pastor Gilberto foi muito usado nos dons de visão e revelação. Muitos não acreditam que os dons de Deus são tão atuais quanto nos tempos apostólicos.

E o que mais me chamou atenção foi como Deus usava o pastor. Pelo Espírito Santo revelava os problemas, dificuldades que que as pessoas sofriam. Até aí, nada de diferente do que estamos acostumados a ver nas igrejas pentecostais. Mas o diferencial é que Deus revelava o nome e sobrenome da pessoa. Por diversas vezes isso aconteceu. Assim também como Deus revelava primeiro o endereço, depois o número da casa e en seguida quem morava em tal recinto. Muitos foram curados, receberam bençãos que a tanto tempo buscava, voi um mover sobrenatural. Toda a igreja ficou encantada e maravilhada com os milagres que nestes três inesquecíveis dias trouxeram a todos nós.

Para quem ainda não crê, aqui vai o site do pastor Gilberto Fernandes, em que é possível assistir alguns vídeos com as revelações.
Os dons de Deus são para edificação, consolação e exortação da Igreja, não devendo jamais fugir dos parâmentros da Bíblia, que é a Palavra de Deus. E também, toda honra, toda Glória é dada a Deus, o Oleiro, e não ao vaso que se entrega e busca para ser usado.

www.pastorgilbertofernandes.com 

Ser Amigo



“Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão”. Provérbios 17:17.

Hoje eu estava meditando sobre o verdadeiro significado da amizade, até que me dei conta de que são muito poucos os que chegam a ser os teus verdadeiros amigos.

Muitos oferecem a você sua amizade, mas lá pela metade do caminho já não estão mais contigo - para mim, os verdadeiros amigos são para a vida toda; os demais foram apenas conhecidos.

Não há melhor exemplo de amigo que o de Jesus Cristo, o melhor amigo de todos.

Dele devemos aprender, pois ele é o nosso Mestre, e ele nos tem deixado normas de conduta para que as sigamos e tenhamos êxito em nossas vidas - não apenas na vida cristã, mas também na nossa vida secular, como seres humanos que somos.

Os amigos são parcela fundamental no desenvolvimento social de uma pessoa, de maneira que se ela não tem amigos, pode-se dizer que ela é socialmente uma pessoa morta.

O ser humano é sociável por natureza, necessitando interagir com outras pessoas para seu desenvolvimento integral; caso contrário, ele se converteria numa pessoa retraída, introvertida e incapaz de sair para o mundo exterior.

Amigos trazem à nossa vida muitas coisas boas...

Além de ter muitas coisas em comum, de passar momentos agradáveis com eles, da cumplicidade, das travessuras, das risadas, de todas essas maravilhosas experiências que se vive com eles.

Você pode encontrar neles um apoio nos momentos difíceis, de dor, de tristeza e frustração.

Um amigo verdadeiro não te fala apenas que gosta de você, mas faz você saber disso, de várias maneiras.

Um amigo verdadeiro faz o impossível para te ver feliz e, quando você está mal, ele permanece ao teu lado.

Um amigo verdadeiro às vezes se esquece de si mesmo para se pôr no teu lugar.

Um amigo verdadeiro às vezes sacrifica horas de sono para te ouvir.

Um amigo verdadeiro não mente para você, com promessas que ele sabe que nunca vá cumprir.

Um amigo verdadeiro ama com o coração, não apenas com os lábios.

Um amigo verdadeiro chora quando te vê mal.

Um amigo verdadeiro sente a tua tristeza, e te acompanha nas boas e nas más situações, e ainda que você tenha caído, ele está ali para dar a mão para você, porque ele te ama.

Um amigo verdadeiro nunca te rejeita, jamais te julga.

Um amigo verdadeiro diz sempre a verdade para você, ainda que te doa.

Um amigo verdadeiro é aquele que, apesar da distância e do tempo, sempre está ali quando é necessário.

Um amigo até se surpreende quando você está longe, e ele pensa em você.

Um amigo se recorda sempre de você, ele não te esquece.

Ainda que você vá para um lugar distante, um amigo verdadeiro sempre terá você presente em seu coração, em sua mente e em suas orações.

Jesus amava tanto seu amigo Lázaro que chorou e se perturbou por sua morte, ainda sabendo que ele tinha poder para ressuscitá-lo.

Ele era Deus, mas era homem também, e sentia dor pelo seu amigo que tanto amava, e que não estava consigo.

Jesus Cristo nos aceita, tal como somos.

Um amigo verdadeiro te aceita como você é.

Jesus nos ama, ainda que saiba que não somos perfeitos, e que cometemos erros.

Um amigo verdadeiro sabe que temos defeitos, mas não se detém neles; ele sabe reconhecer as tuas virtudes.

Jesus Cristo nos perdoou, e ainda nos perdoa quando falhamos com ele.

Um amigo verdadeiro sabe perdoar quando falhamos com ele.

Muitas vezes oferecemos nossa amizade a alguém, mas não queremos nos comprometer, e pensamos que ser amigo é apenas passar um momento agradável, e nos esquecemos que ser amigo não é apenas sê-lo quando as coisas vão bem, e tudo é alegria; ser amigo é compartilhar a dor, compartilhar as tristezas, compartilhar os dissabores desta vida. É ajudar a se levantar, é apoiar-se mutuamente, é consolar-se, é compreender-se, é tolerar-se, é entregar-se.

Jesus Cristo entregou sua vida, sem importar-se com o que quer que seja; ele sabia que, com sua morte, estaria nos convertendo em seus amigos, e que nele teríamos gozo, paz e salvação eterna.

Que bom que aprendamos a ser como Jesus, e que, quando tivermos amigos, saibamos dar-lhes valor.

Que, quando tivermos um amigo, saibamos que Deus colocou em nossas mãos uma jóia preciosa, que devemos cuidar, amar e respeitar.

Que bom será se, quando tivermos um amigo e este vir a falhar conosco, sejamos capazes de perdoá-lo e passar por cima de suas falhas; que bom será se, quando tivermos um amigo, dediquemos a ele o tempo que ele merece, e que não seja por um descuido nosso que ele venha a se aborrecer e se afastar de nós.

Todos temos direito de sermos e de termos amigos, mas também temos o dever de cultivar essa amizade, e de não deixar que ela se desvaneça.

Aprendamos a amar como Cristo nos ama.

Aprendamos a dar, como Cristo se deu por inteiro.

Aprendamos a valorizar as coisas que Deus nos concede, e tenhamos em conta que um amigo é uma bênção de Deus, e que se você encontra um amigo verdadeiro, encontra um tesouro de valor incalculável.

Amém.

Traduzido e adaptado por Cleber Olympio. Publicação do Ministério Remanente Inc. (Alabama, EUA).

Pastor diz que Xuxa vendeu alma a Satanás



Um vídeo em que o pastor Josue Yrion, que vive nos Estados Unidos, diz que Xuxa vendeu a alma a Satanás por US$ 100 milhões, se tornou um 'hit' da Internet.

"Xuxa é o nome de dois demônios brasileiros: Oxu e Orixá", diz ele aos fiéis.


Segundo informações da coluna de Monica Bergamo no jornal Folha de S. Paulo, Yrion já disse que o boneco Barney come "cadáveres humanos" e afirma que os personagens Bart Simpson e Homem-Aranha têm ligações malignas.

Yrion é conhecido por divulgar a "ameaça" de supostas mensagens subliminares nos veículos mundiais, especialmente em filmes de grandes empresas, como a Disney e a Toei Co., que produz desenhos japoneses.

A assessoria de Xuxa diz que não vai comentar essas barbaridades. 

Uma Escolha a Cada Momento



Muitas vezes eu pensei no que consiste dizer que Jesus é o Senhor da minha vida, ou então o que quer dizer se deixar ser guiado pelo Espírito Santo. Para quem não conhece a vida cristã isso pode parecer meio místico, como se você não tomasse mais conta do seu corpo e só ficasse observando seus movimentos guiados por Deus. Mas na verdade, mesmo depois de você declarar que Jesus é seu Senhor e receber o Espírito Santo, a promessa de Deus para todos os que crerem na salvação de Cristo, você continua sendo o responsável por suas atitudes.
O Espírito santo não toma conta do corpo de ninguém, mas habita-o a fim de ser um guia e conselheiro, que fala através de sua consciência e seus sentimentos, dando-o mais conhecimento das vontades de Deus para cada momento. Também faz parte de sua natureza nos encher com mais amor, bondade, paz e alegria (além de todos os outros frutos do Espírito em Gálatas 5:22) à medida que você baseia suas decisões no que você sabe e sente que vai agradar a Deus.

Por isso é que eu penso que viver a vida cristã em sua plenitude não consiste primeiramente em pensar em um estilo de vida, mas em começar a ver a vida em seus detalhes e em cada momento. Melhor, em cada decisão. Pois em muitas dessas decisões nos deparamos com vários lados que nos influenciam: os desejos egoístas (que chamamos de desejos da carne), a influência de outros, a sua consciência (falo aqui de nossa noção de certo e errado) e o desejo do Espírito Santo.

Muitos já ouviram a famosa frase “A vida é feita de momentos” ou “ A vida é feita de escolhas”. Pois bem, acredito que a vida guiada pelo Espírito Santo é aquela que decide seguir o conselho deste Espírito em cada momento de decisão em vez de seguir seu próprio caminho. O caráter cristão é visto pelo conjunto dessas escolhas. E se temos dificuldades de entender a orientação deste espírito (como muitas vezes acontece comigo) sei que é porque não tenho gasto tempo suficiente me dedicando ao conhecimento de sua palavra e principalmente me dedicado à oração.

Mas também existe um grande filtro para se entender a vontade do Espírito Santo. Este filtro está nos mandamentos, resumidos por Cristo, de amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Sabemos que tudo o que foge deste conceito não vem de Deus. Por isso, diante de qualquer dúvida devo sempre pensar se minha escolha está pensando no melhor para as pessoas envolvidas e se está de acordo com o que sei que Deus quer e por isso o está O agradando. E o que Deus quer? “ Que todos se convertam do seu mau caminho(..) (Ezequiel 18:23 ) para desfrutar da união com Ele, a fim de nos dar “ O que nem olhos viram, nem ouvidos ouviram o que Deus preparou para nós.” (1 Coríntios 2:9 ) “Infinitamente maior do que qualquer um pudesse imaginar” .

É claro que viver uma vida que agrade a Deus também se exige planejamento. Isso também é uma escolha. É preciso separar um tempo para planejar como se aproximar mais da vontade de Deus e de como poder ter uma vida cujo amor faça outras pessoas reconhecerem que sua fé faz algo de especial e transformador em você. E para isso é preciso separar um tempo para estudar, para orar e para se envolver em algum tipo de ajuda aos outros. O caráter Cristão não vem do nada, mas sim de muita dedicação, perseverança e muitas vezes auto-negação, a fim de colocar a vontade de Deus (e as vezes as dos outros) na frente da sua. Mas tenha certeza que vale a pena.


Autor: Tiago Roffé
Fonte: Meu Pensamento Cristão

Tempestades




Certa vez, Theodore Parker (1810-1860) descreveu uma tempestade no fim da primavera:

"Estava tudo escuro, exceto onde o relâmpago cortava o céu. O vento sibilava e as águas caíam, diluviais. Que devastação! Mas não demorou muito, os relâmpagos cessaram, os raios silenciaram, a chuva parou, as nuvens se foram com o vento manso e apareceu o arco-íris. Então, durante várias semanas, os campos ficaram cobertos de flores e, por todo o verão, a grama esteve mais verde, os ribeiros mais cheios e as árvores mais frondosas tudo porque a tempestade havia passado por ali".

Gosto muito desse texto porque mostra como uma terrível tempestade pode revelar as mais belas expressões da vida. Acho que as lutas que enfrentamos têm o mesmo efeito que as tempestades na natureza.

Embora muitas vezes o nosso céu pareça escuro e tenhamos a sensação de que o vento e a chuva estão fortes demais, a ponto de destruir tudo, é possível aquietar nossa alma e acreditar que toda a agitação e desordem vão passar. E o mais importante: depois da aparente devastação, virão as flores, a grama verde, os ribeiros mais cheios e as árvores mais frondosas. Há uma mensagem de renascimento nisso tudo.

Acho que podemos entender que, quando a tempestade nos atinge, significa que algo de novo virá em nossa vida. Por isso, não fique angustiado quando as coisas parecerem fora de controle. Se você quiser, Deus poderá coordenar você como faz com a natureza, deixando tudo mais belo, depois. A experiência, em vez de traumatizá-lo, pode servir para fortalecê-lo.

Autor: Ana Paula Valadão
Imagem: Blog Shelyak 

Dons Espirituais



I Cortíntios 12; Efésios 4:11-18

"Dom é atributo especial, dado pelo Espírito Santo, a cada membro do corpo, de acordo com a graça de Deus, para uso no contexto do corpo"

A quem é dado um dom espiritual?
A cada um de nós foi dada a graça conforme a medida do Dom de Cristo (Efésios 4:7).

Para quê nos é dado um dom?
Para servir. "Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus" (1 Pedro 4:10).

Quando recebemos os dons?
Uma pessoa recebe os dons espirituais quando se torna um crente, quando nasce de novo. Pode reconhecê-lo imediatamente ou muito mais tarde. O dom espiritual não é um fim em si mesmo, mas um meio pelo qual o amor de Cristo vai ser manifesto através do crente, que se torna um "canal" para o bem de outros e para glória de Deus.

Quais os benefícios do crente descobrir, desenvolver e exercer seus dons na igreja?
- O corpo funciona melhor, pois cada membro saberá seu lugar no corpo (Ef 2:10; 1Co 12:12-27).
- Haverá harmonia, e todos poderão trabalhar juntos em amor, sem ciúmes, inveja, orgulho ou falsa modéstia (Rm 12:3).
- Edificação: haverá desenvolvimento espiritual e de caráter; conseqüentemente o membro servirá melhor (Ef 4:16).
- Deus será glorificado (1Pe 4:10,11).

Como o dom espiritual afeta o portador?
O exercício do dom traz alegria e satisfação, e ele se sente liberto e seguro em ser ele mesmo (auto-aceitação).

Como o reconhecimento mútuo dos dons afeta o relacionamento interpessoal?
"Quando um crente reconhece que Deus opera de uma maneira toda especial através de cada membro do corpo, então ele terá mais consideração e nutrirá um amor mais sincero para com os outros crentes. Isso o ajudará a entender também o modo de pensar e agir das outras pessoas. O reconhecimento mútuo dos dons espirituais (pessoais) promove coordenação e unidade entre os membros do corpo de Cristo" (Larry Coy).

Como descobrir meu dom espiritual?
Podemos descobrir nossos dons mediante certas evidências:
- Nossa motivação básica. O dom está ligado diretamente a uma motivação depois da conversão. Revela-se no que realmente gostamos de fazer. Nessa atividade nos sentimos felizes e realizados.
- O dom também está realizado no que realizamos por completo, o que fazemos até o fim sem esmorecer. Em situação favorável a tarefa será cumprida.

Como diferenciar Dom espiritual de talentos naturais?
No dom espiritual sentimos a ação do Espírito Santo. Sentimos, ao realizar aquilo que é dom, que as forças não são nossas e por isso não nos enfadamos ou desanimamos; percebemos que é Deus quem está agindo e que nada poderíamos fazer sem Ele.

Os dons de Deus podem ser tirados?
Os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis (Rm 11:29). Porém, quando o crente está em pecado ou em rebeldia, ele não conseguirá desenvolver o seu dom. Ele pode continuar fazendo tudo na obra, menos usar com eficácia o poder de Deus. O dom sem unção é apenas uma habilidade que não produz vida. Os dons de Deus são reconhecidos em nós por nossos irmãos, que são edificados através deles. Ninguém vai ser edificado apenas por habilidades.


OS DONS DENTRO DA IGREJA
Os líderes são um dom de Cristo para a igreja dele (Ef 4:11)
- Apóstolos
- Profetas
- Evangelistas
- Pastores
- Mestres

Considerações:
- Os dons são distribuídos pela vontade do Espírito Santo (1Co 12:11);
- O dom é dado para proveito comum(1Co 12:7);
- Não devemos ter ciúmes dos outros irmãos(1Co 12:14-25);
- A cada um foi dado dons diferentes (1Co 12: 28-30);
- Os membros tem dons para exercer o trabalho de Cristo(1Co 12:1-31);

O finalidade dos dons (Ef 4:12-14)
- O aperfeiçoamento dos santos;
- Para a obra do ministério;
- Para edificação do corpo de Cristo;
- Para chegar a unidade da fé(Ef 4:13);
- Para chegar ao conhecimento do filho de Deus;
- Para chegar à estatura de varão perfeito.
Fonte: Diante do Trono

Quem é Jesus Cristo?



Para o cego, Jesus é luz.
Para o faminto, Jesus é o pão.
Para o sedento, Jesus é a fonte.

Para o morto, Jesus é a vida.
Para o enfermo Jesus é a cura.
Para o prisioneiro, Jesus é a liberdade.

Para o solitário, Jesus é o companheiro.
Para o mentiroso, Jesus é a Verdade.
Para o viajante, Jesus é o caminho.

Para o visitante, Jesus é a porta.
Para o sábio, Jesus é a sabedoria.
Para a medicina, Jesus é o médico dos médicos.

Para o réu, Jesus é o advogado.
Para o advogado, Jesus é o Juiz.
Para o Juiz, Jesus é a justiça.

Para o tristonho , Jesus é a alegria.
Para o leitor, Jesus é a palavra.
Para o pobre, Jesus é o tesouro.

Para o devedor, Jesus é o perdão.
Para o fraco, Jesus é a força.
Para o forte, Jesus é o vigor.

Para o inquilino, Jesus é a morada.
Para o fugitivo, Jesus é o esconderijo.
Para a ovelha, Jesus é o bom pastor.

Para o problemático, Jesus é a solução.
Para os magos, Jesus é a estrela do oriente.
Para o mundo, Jesus é o salvador.

Para Judas, Jesus é inocente.
Para os demônios, Jesus é o santo de Deus.
Para Deus, Jesus é o Filho amado.

Para o tempo, Jesus é o relógio de Deus.
Para o relógio, Jesus é a última hora.
Para Israel, Jesus é o Messias.

Para a gramática, Jesus é o verbo.
Para as nações, Jesus é o desejado.
Para a Igreja, Jesus é o noivo amado.
Para o vencedor, Jesus é a coroa. 

Jesus e o Espírito Santo



“Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (Lc 11.13).

Jesus tinha um relacionamento especial com o Espírito Santo, relacionamento este importante para nossa vida pessoal. Vejamos as lições práticas desse relacionamento.

AS PROFECIAS DO ANTIGO TESTEMANTO. As várias profecias do AT sobre o futuro Messias afirmam que Ele seria cheio do poder do Espírito Santo (Is 11.2; 61.1-3). Quando Jesus leu Is 61.1,2 na sinagoga de Nazaré, acrescentou: “Hoje, se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos” (4.18-21; ver Jo 3.34b).

O NASCIMENTO DE JESUS. Tanto Mateus quanto Lucas declaram de modo específico e inequívoco que Jesus veio a este mundo como resultado de um ato milagroso de Deus. Foi concebido mediante o Espírito Santo e nasceu de uma virgem, Maria (Mt 1.18,23; Lc 1.27). Devido à sua concepção milagrosa, Jesus era um “santo” (1.35), i.e., livre de toda mácula do pecado. Por isto, Ele era digno de carregar sobre si a culpa dos nossos pecados e expiá-los. Sem um Salvador perfeito e sem pecado, não poderíamos jamais obter a redenção.

O BATISMO DE JESUS. Quando Jesus foi batizado por João Batista, Ele, que posteriormente batizaria seus discípulos no Espírito, no Pentecoste e durante toda a era da igreja (ver Lc 3.16; At 1.4,5; 2.33, 38,39), Ele mesmo pessoalmente foi ungido pelo Espírito (Mt 3.16,17; Lc 3.21,22). O Espírito veio sobre ele em forma de uma pomba, dotando-o de grande poder para levar a efeito o seu ministério, inclusive a obra da redenção. Quando nosso Senhor foi para o deserto depois do seu batismo, estava “cheio do Espírito Santo” (4.1). Todos os que experimentarem o sobrenatural renascimento espiritual pelo Espírito Santo, devem, como Jesus, experimentar o batismo no Espírito Santo, para lhes dar poder na sua vida e no seu trabalho.

A TENTAÇÃO DE JESUS POR SATANÁS. Imediatamente após o batismo, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, onde foi tentado pelo diabo durante quarenta dias (4.1,2). Foi pelo fato de estar cheio do Espírito Santo (4.1) que Jesus conseguiu resistir firmemente a Satanás e vencer as tentações que lhe foram apresentadas. Da mesma maneira, a intenção de Deus é que nunca enfrentemos as forças espirituais do mal e do pecado sem o poder do Espírito. Precisamos estar equipados com a sua plenitude e obedecer-lhe a fim de sermos vitoriosos contra Satanás. Um filho de Deus propriamente dito deve estar cheio do Espírito e viver pelo seu poder.

O MINISTÉRIO DE JESUS. Quando Jesus fez referência ao cumprimento da profecia de Isaías acerca do poder do Espírito Santo sobre ele, usou também a mesma passagem para sintetizar o conteúdo do seu ministério, a saber: pregação, cura, libertação (Is 61.1,2; Lc 4.16-19). (1) O Espírito Santo ungiu Jesus e o capacitou para a sua missão. Jesus era Deus (Jo 1.1), mas Ele também era homem (1.Tm 2.5). Como ser humano, Ele dependia da ajuda e do poder do Espírito Santo para cumprir as suas responsabilidades diante de Deus (cf. Mt 12.28; Lc 4.1,14; Rm 8.11; Hb 9.14). (2) Somente como homem ungido pelo Espírito, Jesus podia viver, servir e proclamar o evangelho (At 10.38). Nisto, Ele é um exemplo perfeito para o cristão; cada crente deve receber a plenitude do Espírito Santo.

A PROMESSA DE JESUS QUANTO AO ESPÍRITO SANTO. João Batista profetizara que Jesus batizaria seus seguidores no Espírito Santo (Mt 3.11; Mc 1.8; Lc 3.16; Jo 1.33), profecia esta que o próprio Jesus reiterou (At 1.5; 11.16). Em Lc 11.13, Jesus prometeu que daria o Espírito Santo a todos quantos lhe pedissem. Todos estes versículos acima referem-se à plenitude do Espírito, que Cristo promete conceder àqueles que já são filhos do Pai celestial – promessa esta que foi inicialmente cumprida no Pentecoste (At 2.4) e permanece para todos os que são seus discípulos e que pedem o batismo no Espírito Santo (ver At 1.5).

A RESSURREIÇÃO DE JESUS. Mediante o poder do Espírito Santo, Jesus ressuscitou dentre os mortos e, assim, foi vindicado como o verdadeiro Messias e Filho de Deus. Em Rm 1.3,4 lemos que, segundo o Espírito de santificação (i.e., o Espírito Santo), Cristo Jesus foi declarado Filho de Deus, com poder, e em Rm 8.11 que “o Espírito... ressuscitou dos mortos a Jesus”. Assim como Jesus dependia do Espírito Santo para sua ressurreição dentre os mortos, assim também os crentes dependem do Espírito para a vida espiritual agora, e para a ressurreição corporal no porvir (Rm 8.10,11).

A ASCENSÃO DE JESUS AO CÉU. Depois da sua ressurreição, Jesus subiu ao céu e assentou-se à destra do Pai como seu co-regente (24.51; Mc 16.19; Ef 1.20-22; 4.8-10; 1 Pe 3.21-22). Nessa posição exaltada, Ele, da parte do Pai, derramou o Espírito Santo sobre o seu povo no Pentecoste (At 2.33; cf. Jo 16.7-14), proclamando, assim, o seu senhorio como rei, sacerdote e profeta. Esse derramamento do Espírito Santo no Pentecoste e no decurso desta era presente dá testemunho da contínua presença e autoridade do Salvador exaltado.

A COMUNHÃO ÍNTIMA ENTRE JESUS E SEU POVO. Como uma das suas missões atuais, o Espírito Santo toma aquilo que é de Cristo e o revela aos crentes (Jo 16.14,15). Isto quer dizer que os benefícios redentores da salvação em Cristo nos são mediados pelo Espírito Santo (cf. Rm 8.14-16; Gl 4.6). O mais importante é que Jesus está bem perto de nós (Jo 14.18). O Espírito nos torna conscientes da presença pessoal de Jesus, do seu amor, da sua bênção, ajuda, perdão, cura e tudo quanto é nosso mediante a fé. Semelhantemente, o Espírito atrai nosso coração para buscar ao Senhor com amor, oração, devoção e adoração (ver Jo 4.23,24).

A VOLTA DE JESUS PARA BUSCAR SEU POVO. Jesus prometeu voltar e levar para si o seu povo fiel, para estar com ele para sempre (Jo 14.3. 1 Ts 4.13-18). Esta é a bendita esperança de todos os crentes (Tt 2.13), o evento pelo qual oramos e ansiamos (2 Tm 4.8). As Escrituras revelam que o Espírito Santo impulsiona nosso coração a clamar a Deus pela volta do nosso Senhor. É o Espírito quem testifica que nossa redenção permanece incompleta até a volta de Cristo (cf. Rm 8.23). No final da Bíblia, temos estas últimas palavras que o Espírito Santo inspirou: “Ora, vem, Senhor Jesus” (Ap 22.20).

Transcrito por:
Pr. Airton Evangelista da Costa
www.palavradaverdade.org  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...